Crítica | Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (The Hunger Games: Mockingjay – Part 2)

O ano de 2012 era cercado de expectativas por cinéfilos pelos grandes lançamentos que traria, entre os quais podemos citar: “Os Vingadores”, “O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, “Skyfall”, “O Espetacular Homem- Aranha”, “O Hobbit”, entre outros, porém no meio de todos esses filmes uma nova e promissora franquia baseada em uma saga literária de sucesso surgiu , “Jogos Vorazes” fez um enorme sucesso no mundo inteiro ao trazer um filme adolescente com temáticas politicas e com uma protagonista forte que serviria de inspiração para muitos. Depois do lançamento de dois filmes houve a decisão de dividir o livro final em duas partes, a primeira parte foi lançada em 2014 e deixou muitos se perguntando se a ideia de se produzir duas partes teria sido a correta, “Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (The Hunger Games: Mockingjay – Part 2)” chega pra deixar claro que a ideia foi um tremendo erro.

O filme começa exatamente onde a primeira parte acaba, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) é instruída pela presidente Coin (Julianne Moore) a unir os diferentes distritos para enfim junto de sua equipe poder atacar a capital e derrubar o presidente Snow (Donald Sutherland).

Um problema que ocorre nos três primeiros filmes e que ocorre de novo, de forma ainda mais significativa, é o ritmo lento da primeira metade do longa, que é extremamente chata com diálogos fracos e sem nenhuma cena de ação deixando o espectador angustiado, já que nada de emocionante acontece nesse período.

O triângulo amoroso entre Katniss, Gale (Liam Hemsworth) e Peeta (Josh Hutcherson) não funciona de forma eficaz nesse novo longa, as cenas com os três juntos ficaram extremamente forçadas.

Também há de se mencionar sobre algumas cenas importantíssimas para o enredo que no filme foram tratadas de maneira extremamente superficial tirando assim o impacto que elas deveriam causar. O desfecho da saga é demasiadamente óbvio o que decepciona já que essa franquia na maioria dos seus momentos até aqui tinha fugido disso.

Porém nem tudo são espinhos no último capitulo da franquia, a segunda metade do longa apesar do desfecho óbvio é boa e consegue salvar o filme de ser ruim. Há de se destacar a ótima cena em que Katniss e sua trupe são perseguidos em um túnel.

As boas atuações de Jennifer Lawrence e Julianne Moore também são um dos pontos positivos do filme.

“Jogos Vorazes: A Esperança – O Final” não é um filme ruim, porém decepciona pelo final óbvio e por ter passado longe de ser épico como era prometido nas campanhas publicitárias. A saga de Katniss que começou de forma bastante promissora, infelizmente não termina de forma satisfatória.

NOTA: 7,0

Anúncios

Um comentário em “Crítica | Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (The Hunger Games: Mockingjay – Part 2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s